Curta e Siga


Drenagem Linfática e Exercícios Funcionais no Linfedema





Olá! Eu sou a Dani e esse texto fala sobre Drenagem Linfática e Exercícios Funcionais no Linfedema.





O linfedema é a retenção localizada de fluídos, provocada por um bloqueio ou obstrução do sistema linfático.

Após a cirurgia de retirada dos linfonodos (gânglios), os pacientes evoluem, normalmente, com certo grau de edema, pois a capacidade de absorção do excesso de líquido fica reduzida. O inchaço ocorrido até os primeiros seis meses após a cirurgia é considerado como um edema agudo, sendo que este não é considerado linfedema (edema crônico).

Após a dissecção linfonodal, o sistema linfático buscará mecanismos de compensação na tentativa de suprir a ausência dos linfonodos retirados, adequando assim, a capacidade de transporte da linfa. Se esse mecanismo de compensação for insuficiente o linfedema poderá aparecer.

A principal causa do linfedema nos membros superiores pós-cirurgia para o tratamento do câncer é a retirada dos linfonodos axilares (gânglios); alguns fatores como a como a idade, sobrepeso ou obesidade, realização de radioterapia, complicações pós-operatórias, infecção e o nível da radicalidade da técnica cirúrgica são considerados fatores desencadeantes ou agravantes do linfedema. O mesmo vale para os membros inferiores, cirurgias pélvicas e/ou ginecológicas que exigem a retirada dos linfonodos inguinais, pélvicos e/ou paraaóticos (da virilha e do abdome), podem levar ao linfedema nas pernas ou do pube.

A frequência de linfedema pós-mastectomia descrita na literatura varia de 5,5% a 50%, diferença esta que depende de diversos fatores, como o critério de diagnóstico, tipo de cirurgia, uso de radioterapia e fisioterapia pós-operatória. A incidência média no Brasil, fica em torno de 40%.

O Papel do Fisioterapeuta

Para tratar o linfedema dispomos de alguns recursos. Se o linfedema for de menor grau, sem fibrose, podemos tratar somente com drenagem linfática, exercícios, máquina de drenagem linfática pneumática e uso de vestimentas elásticas.

Se for de um grau maior, com grande quantidade de líquido e presença de fibrose podemos tratar com a Fisioterapia complexa descongestiva ou terapia física complexa (TFC). Ela é composta por drenagem linfática manual especializada, cuidados de pele, compressão por enfaixamento multicamadas, pressoterapia e exercícios miolinfocinéticos. Estes cinco componentes devem ser realizados conjuntamente e eventualmente podem sofrer alguma modificação na sua aplicação dependendo do quadro clínico do paciente. Se realizados separadamente o resultado pode mostrar-se ineficaz.

A Drenagem Linfática

A Drenagem Linfática Manual (DLM) é uma técnica de massagem que atua no sistema linfático através de manobras na superfície da pele realizadas de forma harmônica, lenta e rítmica no sentido da anatomia e fisiologia do sistema linfático, favorecendo o fluxo linfático alterado, sem causar qualquer desconforto ao paciente.Para realização da técnica podem ser utilizados métodos como de Leduc, Vodder e Godoy. A utilização da técnica evidencia a diminuição de edema e linfedemas por facilitação dos fluídos no espaço intersticial por meio da anastomose, proporcionando o equilíbrio das pressões hidrostática e tissulares. Logo após a realização da DLM, deve ser empregada a terapia compressiva, que tem como objetivo a redução do linfedema e manutenção dos efeitos obtidos pela DLM. Posteriormente o tratamento é continuado com a recomendação de meias mais fortes, acima de 40 mmHg, a fim de conservar os benefícios conseguidos pela DLM.

Como é que o Exercício pode fazer a diferença?

Ao contrário do sistema circulatório, o sistema linfático não possui um bombeamento central como o coração; ele é estimulado pelas mudanças de pressão das contrações musculares ou da respiração profunda. A respiração profunda melhora o bombeamento nos vasos linfáticos profundo do tórax, que faz um efeito de vácuo nos vasos linfáticos; estimulando a drenagem linfática.

As contrações musculares realizadas em uma sequência específica (geralmente a partir das extremidades em direção ao tronco) podem aumentar o retorno linfático. Além disso, podem ser feitos exercícios para alongar os músculos. Exercícios que enfatizam a respiração profunda e flexibilidade tais como a Yoga e o Pilates, podem ser particularmente benéficos

Espero que você tenha gostado da abordagem. Segue a gente nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, e no Youtube. Entre no grupo do Whatsappe no grupo do Telegram

Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

Nenhum comentário

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!