Drenagem linfática: muito além da beleza





Não se deixe enganar pelos movimentos suaves e delicados da drenagem linfática manual. A massagem, que foi desenvolvida pelo fisioterapeuta Emil Vodder na Alemanha, em 1932, além de combater a celulite, enxugar medidas e devolver o brilho à pele, às unhas e ao cabelo, aumenta a imunidade, melhora o funcionamento do intestino, alivia os sintomas da tensão prémenstrual (TPM) e até acelera a recuperação no pós-operatório.

Prova disso é o estudo feito pela fisioterapeuta Ângela Marx (SP), do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), com 25 mulheres que retiraram um tumor da mama. Segundo a pesquisadora, as sessões de linfoterapia aumentaram o fluxo nos vasos linfáticos e a absorção dos líquidos responsáveis pelo edema, reduzindo em até 70% o inchaço em 45 dias - sem as manobras, esse mesmo resultado só costuma aparecer depois de nove semanas. Por causa disso, os pacientes voltaram a movimentar os braços mais rapidamente e sentiram menos dores. A técnica também tem sido aplicada após operações plásticas e lipoaspirações. "Num lifting facial, por exemplo, o hematoma e o inchaço só melhoram com duas sessões semanais de drenagem linfática, sendo que a primeira pode ser feita a partir do quarto dia", diz a cirurgiã plástica Loriti Breuel (SP).

Efeitos especiais
O que a massagem faz é ativar o sistema linfático, que fica logo abaixo da pele. Ele é formado por capilares, vasos e mais de 400 gânglios e tem como função principal transportar e absorver os líquidos que ficam nos espaços intracelulares - em caso de cirurgia, essa quantidade é muito maior por causa do rompimento dos vasos. "A drenagem é um fenômeno que ocorre naturalmente no organismo com os movimentos contínuos da respiração, das vísceras, da contração muscular e da pulsação das artérias. Só que às vezes esse processo fica um pouco lento e é necessário darmos uma 'forcinha' extra por meio dessas manobras manuais", esclarece a terapeuta corporal Jane Moraes (SP).

Para isso, a linfa - líquido incolor, viscoso e composto de água, substâncias orgânicas e inorgânicas e resíduos metabólicos - é levada com a ponta dos dedos em direção aos gânglios.

Esses são pressionados para que consigam bombear as toxinas e os líquidos retidos aos órgãos excretores, além de purificar a linfa e enriquecêla com os linfócitos - que são as células de defesa. E, só então, ela é devolvida à corrente sangüínea.

Pelo simples fato de fazer o fluido 'caminhar', o corpo desincha, reduzindo a celulite e as medidas na região da cintura e das coxas. Ele também se fortalece contra as infecções, ativa a circulação nas pernas, diminuindo as dores e a sensação de peso, e melhora a oxigenação e a nutrição dos tecidos, resultando em pele, unhas e cabelos muito mais bonitos. Indiretamente, os toques ainda estimulam o funcionamento de alguns órgãos internos, especialmente do intestino, aceleram o metabolismo, relaxam e aumentam a conscientização corporal e a autoestima. "É um verdadeiro tratamento de cura interna, que apresenta resultados já a partir da terceira consulta", resume Jane Moraes.

A sessão de drenagem linfática dura cerca de uma hora e deve ser feita de uma a duas vezes por semana, sempre com um intervalo mínimo de 24 horas. Na primeira ida ao consultório, é preciso fazer uma anamnese (histórico) para verificar o aspecto da pele e a fragilidade dos tecidos.

A massagem começa pela parte dianteira das coxas em direção aos gânglios que ficam na região da virilha, os chamados inguinais. Somente quando essa área estiver descongestionada por completo, o especialista passa para a parte inferior de pernas e pés. Logo depois são massageados a região abaixo do umbigo, os braços, as mãos, o lado superior do abdômen, o peito, o rosto e o couro cabeludo. Por último, vêm a parte de trás das pernas e as costas. "Tudo isso deve ser feito de forma bastante suave, contínua e harmônica, com movimentos de deslizamento sobre o trajeto dos vasos linfáticos e de compressão na região dos gânglios, especialmente os que se encontram nas axilas, no pescoço e na virilha", explica a fisioterapeuta Heloísa Escudeiro (SP).

Não é para todos
Para facilitar o trabalho das mãos e dos dedos, a maioria dos especialistas utiliza um óleo de massagem, geralmente à base de amêndoa, e acrescenta algumas gotas de óleo essencial de lavanda para ativar a circulação. "Se a principal reclamação do paciente for a celulite, é usado um cosmético próprio para potencializar o resultado e o trabalho se concentra mais nas áreas afetadas", avisa a terapeuta Jane Moraes.

É importante lembrar que a drenagem linfática não é indicada para grávidas até o quarto mês de gestação, pacientes operados sem encaminhamento do médico responsável, pessoas com trombose, tumores ou processos infecciosos ou inflamatórios graves. Já quem tem sinusite, problemas renais ou pressão arterial descompassada deve consultar um especialista para obter liberação.

Como você pode ver, mais que um procedimento estético, a drenagem realizada de maneira correta também faz um bem enorme para sua saúde. É para ficar bonito por dentro e por fora!

Drenagem linfática: muito além da beleza Drenagem linfática: muito além da beleza Editado por saude.chakalat.net on 21:22 Nota: 5

Nenhum comentário:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!

Tecnologia do Blogger.