Drenagem pode fazer mal a saúde





Quem fecha um pacote de dez sessões por até R$ 500 na esperança de trocar o jeans 40 pelo 38 na maioria das vezes está jogando dinheiro fora. O prejuízo não é apenas financeiro. A drenagem pode fazer mal à saúde. O cirurgião vascular Henrique Jorge Guedes Neto, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, afirma que um dos problemas causados pela drenagem malfeita é o fibroedema. "A pele endurece e se torna impossível realizar os movimentos da drenagem", diz.

No caso de infecções - como gripe, bronquite, apendicite -, a estimulação da circulação linfática pode ajudar a disseminar vírus e bactérias pelo organismo. Se a pessoa teve uma trombose venosa profunda há pouco tempo, a drenagem pode provocar o deslocamento de trombos. O resultado pode ser gravíssimo: uma embolia pulmonar ou um acidente vascular cerebral.

A banalização da drenagem linfática preocupa o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Estado de São Paulo. Em novembro, a entidade começou a fazer um levantamento de estabelecimentos que oferecem a técnica sem apresentar condições ideais de higiene ou sem a presença de fisioterapeutas. Já encontrou 297 desses locais. "Vidas correm perigo", diz o vice-presidente do conselho, Mario César Guimarães Battisti. "As pessoas precisam ser informadas de que a drenagem é um procedimento clínico que não pode ser realizado por profissionais sem o devido preparo."

Os fisioterapeutas dizem querer evitar casos trágicos como o da oficial de justiça Sandra Belém Menezes, de 45 anos. Em 2000, ela recebeu o diagnóstico de trombose venosa profunda - um inchaço no pé direito, resultado de um coágulo sanguíneo. Passou por diversos médicos. A maioria não sabia como tratá-la. Até que um ortopedista indicou a drenagem linfática. A esteticista da clínica recomendou 20 sessões. "O que estava ruim ficou muito pior", diz Sandra. "Eu saía da clínica dolorida, cada vez mais roxa, e ela me dizia que aquilo era normal." Depois de muito sofrimento, Sandra descobriu o tratamento correto. Faz sessões de fisioterapia até hoje.

Existe disputa entre fisioterapeutas e esteticistas sobre qual das duas categorias estaria autorizada a oferecer drenagem linfática. Ambas estão, desde que os profissionais tenham passado por treinamento específico e as clínicas em que trabalham ofereçam boas condições de higiene.

A drenagem ficou famosa apenas pelas promessas estéticas, mas ela é um recurso importante da medicina. Serve para amenizar inchaço - e assim trazer conforto - a pacientes nos períodos pré e pós-operatório. Também é aplicada nos casos de disfunção da circulação linfática (linfedema), gravidez a partir do terceiro mês, varizes e queimaduras. Ou ainda no tratamento de pacientes de câncer de mama que passaram por mastectomia e radioterapia. "O tratamento do câncer atinge a função linfática e a drenagem ajuda a reduzir o inchaço", afirma a fisioterapeuta oncovascular Silvia Bacellar, do Instituto Nacional do Câncer.

Uma outra fonte de preocupação é quando a drenagem é aplicada em mulheres que têm câncer e não sabem. Existe a hipótese de que ela poderia acelerar a disseminação das células malignas pelo organismo. A dúvida é pertinente, mas não há consenso entre os médicos. "É improvável que a drenagem acelere uma metástase", diz o oncologista clínico Vladimir Cordeiro de Lima, do Hospital do Câncer, em São Paulo. Os fisioterapeutas dizem que essa é uma situação delicada. "Nunca houve registro de tumor disseminado por drenagem, mas a preocupação existe", afirma o fisioterapeuta Tarso Túlio Nogueira. É bom pensar duas vezes antes de assinar os cheques.

Drenagem pode fazer mal a saúde Drenagem pode fazer mal a saúde Editado por ADMIN on 10:57 Nota: 5

Um comentário:

  1. Vidas correm perigo em hospitais e não em clínicas estéticas.
    Deveriam se preoucpar com as centenas de morte em filas de espera e mortes por infecção hospitalar. Deveriam se preocupar com as mortes em lipoaspiração que é feita por médico.
    Quem tem diploma superior pode matar? É isso? Eu nunca ouvi de um caso de morte por drenagem feita por um massoterapeuta ou esteticista.
    Em todas sa áreas existem bons e maus profissionais.
    O curo técnico de esteticista e de massoterapia tem estudo sim de anatomia, fisioligia, técnicas e muito mais.
    Antes de fiscalizar e fechar clínicas deveriam se informar o que contém no curso desses profissionais.
    O curso de massoterapia e esteticista hoje estão a nível de faculdade porque é para isso que está se encaminhando, é nessa luta que estamos. Chegar a faculdade.
    A profissão de massoterapeuta e esteticista é reconhecida por lei federal e os cursos são reconhecidos. Não existe nada que impede um profissional de atuar sendo que sua clínica tenha passado pela fiscalização dos órgãos competentes para o fim. Na minha clínica por exemplo, esteve aqui um fiscal da prefeitura e outro de fiscalização sanitária. Estava tudo em ordem. Nosso curso nos dá o direito de ter um espaço funcionando.
    E também no reconhecimento por lei federal, a profissão engloba várias técnicas corporais entre elas drenagem linfática manual. Procurem se informar para depois comentar.
    Existe espaço para todos. Cada um no seu trabalho.
    Não são todas as faculdades de fisioterapia que tem a matéria massagem na grade curricular. E massagem ou drenagem não é apenas ter profundo conhecimento de anatomia e fisiologia. A técnica, a habilidade, respeito, doação, ética, amor e o cuidar são fundamentais para esse trabalho.
    Risco de vida as pessoas correm ao entrar num hospital e não em uma clinica estética.
    O site pede para comentar com educação, desculpa se falei algo de errado.
    Fico indignada e revoltada com os constantes ataques ao trabalho sério dos massoterapeutas.

    ResponderExcluir

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!

Tecnologia do Blogger.